Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Semana de Educação Infantil 2012

A semana de Educação Infantil de nossa escola, foi marcada pela união e empenho da equipe de EI.
Muito trabalho, contação de história para pais, atividades de pais e filhos, atividades na praça...
Tudo registrado em fotos que foram distribuídas aos pais no final da semana. Parabéns equipe linda!








Agosto é o mês do Folclore!

Agosto no CIEP  Dr. Adão Pereira Nunes foi muito produtivo. Os professores , a técnica de enfermagem, a professora de sala de leitura , a estagiária e a parceira do Bairro Educador realizaram atividades maravilhosas.

    Os objetivos do projeto foram:

   Motivar a leitura, vivenciar o folclore com atividades como o cortejo, conhecer personagens folclóricos, estimular a oralidade e socialização.


    Atividades:

    Contação de histórias folclóricas, cortejo folclórico que percorreu toda a escola, dramatização de histórias contadas.

    Resultados:

   O mês de agosto foi agradável, leve, os alunos ficaram motivados a realizar leituras em atividades ao ar livre e em cortejo.  Aumento de empréstimo de livros na Sala de Leitura.


  Parabéns equipe!!!!








sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Prova de produção textual 3º bimestre.

2º ano- Escolher um personagem de um dos livros lidos no bimestre e fazer um texto sobre ele.

3º ano-Identificar o personagem principal de um dos livros lidos no bimestre e contar o que ele fez de importante na história.

4º ano- Escolher um personagem de um livro lido e escrever sobre ele (descrever características)

5º ano- Explicar o conflito gerador (situação- problema)  de um livro lido no bimestre.

6º ano- Escrever o desfecho do protagonista de um livro lido no bimestre.

7º ano- Fazer uma notícia sobre uma história lida no bimestre, respondendo as perguntas: Quem? O quê? Onde? Como e Por quê?

8º e 9º ano- Escrever resumidamente uma história lida no bimestre obedecendo à estrutura narrativa (situação inicial, conflito gerador,clímax e desfecho).


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Livros do Projeto “Minha Primeira Biblioteca”


 
quarta-feira, 22 de agosto de 2012 19:33
Sr (a) Diretor(a),
 
 
            Os Livros do Projeto “Minha Primeira Biblioteca” serão entregues diretamente nas unidades escolares, portanto são necessárias algumas orientações:
            1 – Os livros chegarão às unidades com quantitativos diferenciados para cada título, porém o somatório deles deverá ser igual ao de crianças matriculadas na UE.
2 – O Livro “Maria Fumaça Cheia de Graça” ou o “Você” chegará com o quantitativo total de crianças matriculadas na UE.
3 – Cada criança receberá dois livros: um comum a todos, como citado acima, e outro título diferente.
4 – Em todas as turmas teremos diferentes títulos, de acordo com o item 1.
5 – Enviaremos uma unidade de cada título para compor o acervo de livros da escola.
            6 – Caso haja divergência no quantitativo de livros recebido, com a necessidade da U.E., informar à CRE.
7 – Os títulos adquiridos para a creche são diferentes dos adquiridos para a pré-escola, sendo eles:
 
CRECHE
1 - Você (todas as crianças da creche receberão),
 
*Berçário
1- Ping e Pólo Hora de Brincar
2 -Ping e Pólo Pique-Esconde
3 - Ping e Pólo Hora de Dormir
4 - Ping e Pólo Dia de Passeio
 
*Maternal
1 – O Inverno da Raposinha,
2 – O Lobo Voltou,
3 – Cachorros não dançam balé,
 
PRÉ-ESCOLA (4 e 5 anos)
 
1 – Maria Fumaça Cheia de Graça (todas as crianças da pré-escola receberão)
2 – O Caçador de Palavras
3 – Fiz Voar o Meu Chapéu,
4 – Anacleto,
5 – Festa de Ciranda,
6 – O Inverno da Raposinha
 
Pedimos que essas orientações cheguem a todas as unidades de creche, escola e EDI o mais breve.
 
Atenciosamente,
 
Gerência de Educação Infantil

Orientações sobre o Primário Carioca


Assunto: Orientações sobre o Primário Carioca

Sr(a). Coordenador(a) de E/SUBE/CRE
Sr(a). Assessor(a) de Integração da E/SUBE/CRE
Sr(a). Gerente da E/SUBE/CRE/GED
Sr(a). Diretor(a) de Unidade Escolar
           
            Reiteramos pontos do que foi acordado na SME Itinerante, com a Sra. Secretária e a Sra. Subsecretária, e do que foi tratado em reuniões com as E/SUBE/CRE/GEDs, quanto à implementação do Primário Carioca (4º, 5º e 6º Anos):
            São ações importantes a serem adotadas em todas as turmas desses Anos:
1 - Leitura mensal de livro, com orientação do professor sobre os pontos a serem observados. É necessário ter, em sala de aula, a listagem dos livros disponíveis na Sala de Leitura, observando a faixa etária dos alunos a que se destinam.
2 - Prova de leitura de livro, elaborada pelo professor, nos meses em que não há a Prova Bimestral de Produção Textual. Deverá ocorrer na semana das provas do Projeto Nenhuma Criança a Menos, a saber:
a) maio: 29;
b) agosto: 28;
c) outubro: 30.
3 - Diário do aluno, que, em um caderno, pode deixar sua imaginação fluir, em textos livres, como também, por exemplo, anotar suas impressões da(s) aula(s) do dia, do que aprendeu, daquilo em que teve dificuldades, falar de suas aspirações e do que mais considerar importante registrar. É importante haver um momento para apresentação desses textos.
            A concepção do Primário Carioca será discutida, ao longo deste ano, nas Coordenadorias Regionais de Educação, com o objetivo de receber as contribuições do campo.

Filme destaca novos modelos educacionais; assista online | Portal Aprendiz

Filme destaca novos modelos educacionais; assista online | Portal Aprendiz

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Seleção de Tutores


Senhor(a) Diretor (a),
 
Tendo em vista a Resolução nº 1.196, de 02 de agosto de 2012, que regulamenta o Sistema de Tutoria direcionado aos profissionais docentes desta Secretaria Municipal de Educação, solicitamos que seja divulgado, até sexta-feira, dia 24 de agosto, para os Professores pertencentes a sua UE, as orientações para a inscrição daqueles que desejarem participar da seleção para Tutor.
Seguem, em anexo, o Regulamento, o Decreto Nº 35.674, a Resolução SME Nº 1.196, o Termo de Compromisso e a Ficha de Inscrição.
Esses documentos devem ser repassados para os Professores interessados que estejam aptos a inscrição de acordo com o Regulamento em anexo. Aqueles que desejarem se inscrever, deverão preencher o Termo de Compromisso e a Ficha de Inscrição e entregar, juntamente com os outros documentos necessários, na E/SUBE/CRE/GRH
Todos os prazos e orientações para os professores encontram-se elencados no Regulamento.
Os documentos deverão ser entregues pelo candidato na  E/SUBE/CRE/GRH , no período de 27/08 a 06/09/2012 .
Certos da colaboração de todos, agradecemos, mais uma vez, essa parceria que tanto enriquece e contribui com as iniciativas de formação da SME.
Informamos ainda que a mesma documentação já foi enviada pelo Protocolo da E/SUBE/6ªCRE no dia 20/08/2012.
 
Atenciosamente,
Maria do Carmo e Equipe de Capacitação/GRH

Ficha de inscrição



                                       PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
ESCOLA DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR CARIOCA – PAULO FREIRE
GERÊNCIA DE FORMAÇÃO BÁSICA

SISTEMA DE TUTORIA DIRECIONADO AOS PROFISSIONAIS DOCENTES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO RIO DE JANEIRO

Ficha de Inscrição
Nome completo: __________________________________________ Matrícula: __________________
Identidade: _____________________ CPF: _____________________
Unidade Escolar: E/SUBE/CRE (_____________)___________________________________________
E-mail institucional: ________________________@rioeduca.net
Telefone(s) para contato: ____________________________________

1)    Cargo que ocupa no Município do Rio de Janeiro:
      (   ) PI de _______________________        (   ) PII        

2)    Tempo de Regência de Turma:
(   ) De 10 a 15 anos de Regência de Turma na Rede Pública Municipal de Ensino
(   ) De 15 a 20 anos de Regência de Turma na Rede Pública Municipal de Ensino
(   ) De 20 a 30 anos de Regência de Turma na Rede Pública Municipal de Ensino
(   ) Mais de 30 anos de Regência de Turma na Rede Pública Municipal de Ensino

3)     Você já atuou como tutor?
(   ) Não        (   ) Sim (Especificar)___________________________________________________________
________________________________________________________________________________________

4)     Você utiliza os dados das avaliações externas e internas para análise da turma e tomada de decisão?
(   ) Não        (   ) Sim (De que forma?)__________________________________________________
________________________________________________________________________________

5)     Você usa nas suas aulas?
(   ) Educopédia        (   ) Cadernos Pedagógicos       (   ) Outros materiais (Qual(is)?) ____________
________________________________________________________________________________


6)     Que conhecimentos você avalia como necessários para o seu desempenho como tutor?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

7)     Minha disponibilidade para participar do curso é:
 (   ) manhã          (   ) tarde       

Rio de Janeiro, ____ de ______________ de 2012.


_____________________________________________________


REGULAMENTO
I – Público-Alvo
Professores I de 16h e Professores II de 22h e 30min (1º ao 5º ano), com uma matrícula, regentes da Rede Pública Municipal de Ensino, com o mínimo de 10 anos de regência de turma na Rede Pública Municipal de Ensino.
II – Carga Horária:
Professor I – 4h, por Tutorando, cumpridas em um dia da semana, totalizando, no máximo, 16h semanais de acordo com o número de Tutorandos (até quatro).
Professor II – 4h30, por Tutorando, cumpridas em um dia da semana, totalizando, no máximo, 22h30 semanais de acordo com o número de Tutorandos (até cinco).
III – Da Inscrição:
            O candidato deverá apresentar na E/SUBE/CRE de lotação, no período de 27 de agosto a 6 de setembro de 2012, ficha de inscrição preenchida e assinada; termo de compromisso preenchido e assinado; comprovação de, no mínimo, 10 (dez) anos de regência de turma na Rede Pública Municipal de Ensino e declaração da escola de lotação constando o desempenho das turmas em que atuou nos anos de 2009, 2010 e 2011.
IV – Da seleção
            Ficará sob responsabilidade da Escola de Formação do Professor Carioca – Paulo Freire, a análise da documentação e a seleção dos professores candidatos a tutor.
V – Do curso
            O curso para habilitação no Sistema de Tutoria será realizado nos meses de setembro/outubro, na Escola de Formação do Professor Carioca – Paulo Freire.

OBS.: É imprescindível que o professor candidato a tutor esteja ciente do disposto no art. 5º e 6º do Decreto Nº 35.674, de 30 de maio de 2012 e na Resolução SME Nº 1196, de 02 de agosto de 2012, que regulamenta o Sistema de Tutoria direcionado aos profissionais docentes.
   

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Atribuições do secretário escolar


Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro
SECE - Sistema de Evolução de Cargos e Empregos
Relatório de Cargos e Empregos
Entidade: Administração Direta
Código do Cargo: 99915 Cargo: SECRETÁRIO ESCOLAR
CBO:
Número de Vagas Fixadas: 1200 Tempo de experiência: Não definido.
Status: ATIVO
Escolaridade: MÉDIO
Tipo de Cargo: CARGO
Regulamentação: Cargo não regulamentado.
Data da Criação: 08/12/2011
Tipo de Base Legal: LEI
Base Legal da Criação:
005335 - Cria no quadro permanente do Poder Executivo do MRJ a categoria funcional de Secretário escolar e dá
outras providências.
Base Legal da Extinção:
-
Qualificação exigida para o cargo:
Atribuições do Cargo:
DESCRIÇÃO SUMÁRIA: planejar, coordenar e executar, em consonância com as normas e prazos estabelecidos e
com as orientações da direção escolar, as atividades da secretaria da escola, responsabilizando-se pelo seu
funcionamento.
RESPONSABILIDADES GENÉRICAS:
- organizar racionalmente o trabalho, mantendo-se atualizado quanto às modernas técnicas profissionais;
- responsabilizar-se pelo planejamento, pela requisição e manutenção do suprimento necessário à realização das
atividades vinculadas à secretaria escolar;
- zelar pela economicidade e conservação dos equipamentos e materiais que lhe são confiados;
- conhecer e fazer uso dos sistemas administrativos centralizados e descentralizados da Secretaria Municipal de
Educação;
- contribuir para a integração escola-comunidade, garantindo que os usuários dos serviços da secretaria escolar sejam
atendidos com respeito e urbanidade;
- participar, em conjunto com a equipe escolar, da formulação e implementação do plano de gestão da escola.
ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS:
- conhecer e aplicar os princípios e normas que regem a gestão escolar em seus aspectos administrativos, primando
pela transparência de procedimentos;
- conhecer, consultar e interpretar normas a que se vincula o Poder Público Municipal, em especial aquelas afetas à
área educacional, garantindo sua aplicação;
- analisar, organizar, registrar e documentar fatos ligados à vida escolar dos alunos e aos profissionais em exercício na
unidade escolar;
SECE Relatório de Cargos e Empregos Página 1
Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro
SECE - Sistema de Evolução de Cargos e Empregos
Relatório de Cargos e Empregos
- conhecer e utilizar-se de tecnologias de informática;
- atender aos profissionais da escola, à comunidade, aos alunos e ao público em geral, prestando as informações e
orientações necessárias;
- zelar pela identidade da vida escolar dos alunos e pela autenticidade dos documentos escolares;
- responsabilizar-se por toda a escrituração e expedição de documentos escolares e outros que se façam necessários;
- promover o levantamento de dados referentes à vida escolar dos alunos, contabilizando-os para fins estatísticos e
respectiva análise;
- organizar, coordenar e conservar o arquivo ativo e inativo da escola;
- zelar pelo sigilo da documentação e informações de que tenha conhecimento, relativas à vida escolar dos alunos e
funcional dos servidores;
- receber, protocolar e instruir processos administrativos e expedientes relativos a situações diversas, em especial as
que se vinculem à vida escolar e a fatos relacionados a alunos;
- preparar relatórios diversos solicitados pela direção da escola;
- garantir apoio às atividades da escola;
- colaborar nas atividades relativas à execução do Programa de Alimentação Escolar;
- colaborar e participar de atividades que envolvam a comunidade, sob orientação da direção da escola;
- participar de atividades de qualificação proporcionadas pela Administração Municipal, bem como de reuniões de
equipe;
- refletir e avaliar sua prática profissional, buscando aperfeiçoá-la;
- praticar os demais atos necessários ao desenvolvimento das atividades da Secretaria Escolar.
Outras informações inerentes ao cargo:
CARGA HORÁRIA - 40H (Lei 5335/11)
SECE Relatório de Cargos e Empregos Página 2

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Portal Releituras é referência na web para fãs de literatura



Projeto Releituras é uma plataforma que reúne obras, bibliografias e dados biográficos de escritores de diferentes períodos e movimentos literários, tudo num mesmo site. O foco principal está nos autores brasileiros consagrados, mas ao explorar o conteúdo o internauta encontrará tanto autores reconhecidos quanto novos talentos, e de diferentes nacionalidades.
O site serve também como uma fonte confiável de pesquisa para trabalhos acadêmicos, na localização de referências editadas em livro, audiovisual ou das adaptações teatrais da obra do autor.
Episódios relevantes da vida dos escritores estão dispostos em textos sucintos, organizados cronologicamente. No menu do autor é possível consultar ainda amostras de sua obra.
Além de grandes nomes, como Clarice Lispector, Guimarães Rosa e Carlos Drummond, o site possui uma seção dedicada a “novos escritores”, com a participação inclusive de autores inéditos em livro.
A seção “Vestibular” reúne informações sobre as principais listas de leitura obrigatória para os exames, além de linkar às páginas das respectivas universidades. Outra contribuição está no fácil acesso às bibliotecas de conteúdo digital aberto, caso da Brasiliana da USP, ou da Biblioteca Virtual de Literatura.
O site conta ainda com importantes diferenciais, como uma seção dedicada a ilustradores, e uma outra, em parceria com o Porta Curtas, reunindo filmes adaptados de obras literárias ou roterizados por autores destacados.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Regras para tutoria!

DIÁRIO OFICIAL de 6 de agosto de 2012
RESOLUÇÃO SME N.º 1.196, DE 02 DE AGOSTO DE 2012

Regulamenta o Sistema de Tutoria direcionado aos profissionais docentes.

A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor e

CONSIDERANDO o disposto no Decreto n.º 35.602, de 09 de maio de 2012 que cria a Escola de Formação do Professor Carioca – Paulo Freire e estabelece suas competências;

CONSIDERANDO a implantação do Sistema de Tutoria direcionado aos profissionais docentes de acordo com o disposto nos art. 5° e 6° do Decreto n.º 35.674, de 30 de maio de 2012;

CONSIDERANDO a política de valorização dos professores mantida pela Secretaria Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro;

CONSIDERANDO a importância da orientação pedagógica aos novos docentes admitidos nas Escolas da Rede Pública Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro; e

CONSIDERANDO o compromisso da Secretaria Municipal de Educação com o desenvolvimento de ações de formação continuada visando à melhoria da qualidade do ensino;

RESOLVE:

Art. 1° O Sistema de Tutoria destina-se ao acompanhamento pelo prazo de 1 (um) ano, aos professores de primeira matrícula na Rede Pública Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro.

Art. 2° Os Tutores atuarão no âmbito das Coordenadorias Regionais de Educação a que pertencem, em escolas onde houver lotação de professores regentes de primeira matrícula na Rede Pública Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro.

Art. 3° Cada Tutor será responsável pelo desenvolvimento do trabalho de tutoria de até 5 (cinco) professores regentes de primeira matrícula na Rede Pública Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro.

Art. 4° O trabalho do Tutor envolve a atuação em parceria com o professor regente, visando o aperfeiçoamento profissional e a melhoria do desempenho dos alunos. As atividades desenvolvidas pelo Tutor deverão atender às seguintes especificações:

I - interagir com o Coordenador Pedagógico no gerenciamento planejamento escolar;

II - articular com o professor regente as ações organizadas coletivamente, a partir do Projeto Político Pedagógico da escola;

III – conhecer o diagnóstico da turma;

IV – observar e orientar a prática pedagógica do professor regente;

V - atuar de forma colaborativa com o professor regente na organização do planejamento e de estratégias pedagógicas que favoreçam a aprendizagem dos alunos;

VI – analisar, junto com o professor regente, o desempenho dos alunos;

VIII - avaliar e replanejar, em conjunto com o professor regente, o processo de ensino e aprendizagem; e

IX - elaborar relatórios periódicos do desempenho do professor regente, dos alunos e da tutoria.

Art. 5° Caberá às Coordenadorias Regionais de Educação definir o quantitativo de Tutores necessários para o acompanhamento e orientação aos professores de primeira matrícula.

Art. 6° A inscrição no Sistema de Tutoria será realizada, mediante formulário próprio, em cada Coordenadoria Regional de Educação e obedecerá aos seguintes critérios:

I – ser professor regente;

II – comprovar o mínimo de 10 (dez) anos de regência de turma;

III – apresentar declaração da escola de lotação, constando o desempenho das turmas em que atuou nos últimos 3 (três) anos de regência; e

IV – estar ciente do Termo de Compromisso referente ao Sistema de Tutoria.

Art. 7º As inscrições deverão ser encaminhadas, pelas Coordenadorias Regionais de Educação, à Escola de Formação do Professor Carioca - Paulo Freire.

Art. 8° A seleção dos Tutores será de competência da Escola de Formação do Professor Carioca – Paulo Freire.
Art. 9° Os Tutores selecionados participarão de Curso na Escola de Formação do Professor Carioca – Paulo Freire para se habilitarem ao Sistema de Tutoria.

Art. 10 O Sistema de Tutoria terá validade de 1 (um) ano, podendo ser renovado.

Art. 11 Os Tutores selecionados participarão de encontros presenciais, com periodicidade bimestral, na Escola de Formação do Professor Carioca – Paulo Freire.

Art. 12 O cumprimento da carga horária semanal dos Tutores será diferenciado de acordo com o cargo que ocupam, obedecendo as seguintes determinações:

I- Professor II - 4h30, por Tutorando, cumpridas em um dia da semana, totalizando, no máximo, 22h30 semanais, de acordo com o número de Tutorandos.

II- Professor I - 4h, por Tutorando, cumpridas em um dia da semana, totalizando, no máximo, 16h semanais de acordo com o número de Tutorandos.

Art. 13 A remuneração do Tutor será calculada de acordo o abaixo descrito:

I- Professor II - 1/5 (um quinto) de seu vencimento base, por Tutorando.

II- Professor I -1/4 (um quarto) de seu vencimento base, por Tutorando.


Art. 14 A Escola de Formação do Professor Carioca – Paulo Freire será responsável por elaborar os documentos de acompanhamento, monitoramento e avaliação do trabalho desenvolvido pelos Tutores.

Art. 15 Os casos omissos serão resolvidos pela Escola de Formação do Professor Carioca – Paulo Freire.

Art. 16 Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

CLAUDIA COSTIN

oportunidade!


Inscrições abertas para o 4º Fórum Pensar a Infância



De 27 a 29/08, acontece o 4º Fórum Pensar a Infância, que integra a 10ª edição do Festival Internacional de Cinema Infantil – FICI; serão quatro dias de discussões relativas à infância e ao audiovisual!
O evento é gratuito e será realizado no Oi Futuro Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 54 - Ipanema - Rio de Janeiro / Telefone 3201-3000)
Em anexo, a programação e o modelo de ficha de inscrição para participar do Forum.
Lembre-se: a ficha de inscrição deve ser enviada para o e-mail: forumpensarainfancia2012@gmail.com
Para fazer a sua inscrição, leia as instruções abaixo.





Coisas de 3º ano!

Nossas turminhas de 3º ano são atendidas por professoras muito criativas, realizam muitas aulas passeio, utilizam todos os recursos disponíveis na escola. O resultado não poderia ser melhor, alunos motivados e curiosos. A turma 1302 da professora Heloísa é um exemplo disso. Aulas de Ciências para aprender fazer cola de caseína, Ida ao cinema no Ponto Cine, Visita ao planetário, são pequenos exemplos de uma professora muito dedicada e comprometida com a educação. Parabéns Heloísa, você faz diferença nessa equipe tão maravilhosa do CIEP Dr, Adão Pereira Nunes.








Centenário de Luiz Gonzaga

A turma da professora Claudia Marques, em sua hora da história teve a oportunidade de conhecer a história de Luiz Gonzaga. As crianças puderam conhecer a obra de Gonzagão e aprender mais sobre a região nordeste. A contação foi feita no Cineclube, utilizando os recursos tecnológicos e a internet. Após a contação os alunos fizeram uma atividade de artes com xilogravura. Eles adoraram.








Dicas de Leitura da Estagiária Arlene.

A hora da leitura faz parte da rotina diária das turmas em nossa escola, sempre no início do dia. As crianças podem estar em círculo, ou deitadas e sentadas nos tapetes das salas para escutar atentamente. Após a leitura são realizadas diversas atividades para desenvolver a oralidade, a memória, a leitura, a escrita a expressão artística etc.
 Nessa atividade a estagiária Arlene, nossa especialista em contar histórias, utilizou o livro Maria vai com as Outras para trabalhar valores, sustentabilidade, expressão artística.






quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Aulas de Ciências no 3º ano.

É muito bom ver as aulas de Ciências da professora Gwendolyn com sua turma 1303. Os alunos são alfabetizados durante as aulas e ainda aprendem conceitos científicos interessantes de forma prática e divertida. Nessa aula a professora apresenta o tema transformação:



AULA 8: COMO O LEITE SE TRANSFORMA EM TANTOS PRODUTOS?


NESSA AULA PRODUZIMOS A COLA DE CASEÍNA A PARTIR DO LEITE. ESSA EXPERIÊNCIA FOI FANTÁSTICA. DIFERENTE DO QUE É SUGERIDO NO LIVRO NÓS USAMOS PERFEX E NÃO COADOR DE PAPEL,POIS ASSIM CONSEGUIMOS TIRAR UMA MAIOR QUANTIDADE DE CASEÍNA. 





Visita da escritora Eva Correia Derossi no Ciep Adão

Nosso CE no dia 30 de julho foi muito bom, falamos de avaliação e metas para o segundo semestre. E ainda recebemos a visita da Escrito Eva Correia Derossi, que falou do seu livro para os professores. A equipe muito dedicada aos estudos e leitura merece sempre o melhor.



Agosto, passeio ao Museu Casa do Pontal!

Em agosto comemoramos o dia do Folclore, nada como falar do tema com uma aula passeio no Museu Casa do Pontal, situado no Recreio dos Bandeirantes. As professoras Heloísa e Gwendolyn levaram seus alunos de 3º ano. As crianças fizeram a visita guiada no espaço e esse mês irão realizar atividades na escola a partir do passeio. Ampliar o capital cultural dos alunos, oportunizar a reflexão sobre arte e cultura são eixos norteadores do nosso Projeto Político Pedagógico e os alunos amam!







Assunto: Pacto Carioca pela Alfabetização

A Secretária Claudia Costin e a Coordenadora Geral do Ensino Fundamental do MEC , Lucia Couto, firmaram este compromisso com as Coordenadorias de Educação.

Metas acordadas :
1 - toda criança de Educação Infantil imersa em ambiente letrado e iniciando seu processo de alfabetização;

2 - toda criança capaz de ler e escrever textos adequados a sua idade ao final do 1º ano do Ensino Fundamental;

3 - toda criança com a alfabetização consolidada ao final do 3º ano do Ensino Fundamental.

Metas a serem alcançadas da Educação Infantil - modalidade Creche ao 3º ano.

Estas metas deverão ser atingidas com o trabalho de todos nós : CRE, Escolas , EDIs , Creches, Direção, Professores , Funcionários e Responsáveis.

Para vencermos este desafio, temos, também, que envolver outros segmentos da Escola.

Para tanto, encaminho dois TERMOS DE COMPROMISSO.

Um para os responsáveis, assumindo o compromisso de não permitir que seu filho falte às aulas e acompanhar sua vida escolar; outro , onde o Professor assumirá com seu Diretor, o compromisso de se empenhar em buscar caminhos para alcançar as metas acima citadas.

Por solicitação da Profª Helena Bomeny, o PACTO CARIOCA PELA ALFABETIZAÇÃO a ser firmado entre os Diretores e os Professores das Unidades Escolares deve ser assinado na sexta-feira, dia 10/8, como culminância da Semana da Alfabetização cujo tema é CONSOLIDANDO O PACTO CARIOCA DE ALFABETIZAÇÃO.

Orientamos, ainda, que esta atividade deverá ser registrada no livro de atas do CEC , com a presença de todos os representantes do CEC.

O Termo de Compromisso dos Responsáveis deverá ser assinado , no próximo sábado, dia 4/8, na Reunião de Responsáveis, dentro do calendário escolar.

Ressaltamos que estes Termos deverão estar organizados e arquivados e os responsáveis faltosos deverão ser chamados para comparecerem à Escola para assiná-lo, posteriormente.

Além do slogan


Existem alguns termos e expressões correntes no meio educacional que não querem dizer nada. Ou melhor, querem dizer aquilo que se quiser entender, a gosto de cada um. Têm apelo publicitário imediato, engendram simpatias, valem por um bom slogan e ocupam o lugar da reflexão, dispensam de pensar. Um exemplo? “Escola como espaço de acolhimento”. Ninguém é contra. Nem pode ser. Seria anátema. Mas o que quer dizer afinal? De uma singela proposta de relação mais informal entre professor e aluno ao liberou geral do “é proibido proibir”, é possível entender a expressão das mais variadas maneiras. Só não dá pra começar a partir dela qualquer discussão. Não se discute o indefinível.
O espaço “Coluna Livre” publica artigos de opinião produzidos por leitores do Portal Aprendiz. O texto “Além do Slogan” foi produzido por Cassiano José Pimentel, jornalista e consultor em comunicação para a gestão pública. Pimentel foi também colaborador da revista Educação e editor de conteúdo na Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo.
Em escala muito maior, acontece o mesmo com uma expressão que está entranhada no dia a dia da educação brasileira e deverá estar ainda por muito tempo: “educação para a cidadania”. Sua importância é indiscutível. Claro: ela significa tudo, ou seja, não significa nada. É impossível colocá-la em discussão.
Educação para a cidadania pode ser, num contexto bem modesto, uma escola trabalhar junto aos adolescentes a importância do voto como instrumento de ação social. Indo mais além, pode ser o colégio abordar toda a gama de direitos e responsabilidades que passarão a fazer parte da vida do jovem na transição do ensino médio para o universitário.
Educação para a cidadania pode ser simplesmente estímulo ao voluntariado, ao engajamento, à participação em projetos filantrópicos. Pode ser a escola que, cotidianamente, dá tanto valor à autonomia dos alunos, à capacidade de ter iniciativa e tomar decisões, quanto à aquisição de conhecimentos previstos no programa das disciplinas. Pode ser o colégio que, atento aos temas em pauta na sociedade, propõe constantemente atividades multidisciplinares que tratam dessas questões: ora, a segurança no trânsito; ora, o consumo de álcool por menores de idade; ora, a onipresença das mídias na vida de todos, e assim sucessivamente.
Educação para a cidadania pode ser, a pretexto de formar estudantes politizados, o disfarce do proselitismo barato, da formação e arregimentação de futuros militantes. Pode ser a fachada bonita de uma educação excludente, que transmite à geração de hoje os ressentimentos políticos da de ontem.
Educação para a cidadania é uma expressão, enfim, elástica o bastante para assumir o aspecto que se lhe quiser emprestar. Serve aos mais variados propósitos, como os aqui apresentados, todos eles facilmente encontrados nos estabelecimentos de ensino brasileiros. Educação para a cidadania, como não quer dizer nada, não é garantia de nada também.
Entre as instituições nacionais que se gabam de promover a educação para a cidadania, é raro encontrar, no entanto, alguma que leve a sério de fato aquilo que bem resumiu Reuven Feuerstein, psicólogo romeno especialista em psicologia do desenvolvimento: “Você tem a necessidade de garantir a qualidade de vida ao seu próximo”. Eis aí, simples, mas rico em significados, livre de ideologizações limitantes e recortes circunstanciais, um pequeno documento-base de direitos e deveres, do velho e sempre atual ideal humano da solidariedade. Eis aí o fundamento de qualquer educação para a cidadania que pretenda valer mais do que um bom slogan.